Como está o seu intestino?

A composição da microbiota intestinal é única para cada pessoa e a formação das colônias depende muito do estilo de estilo de vida, padrão alimentar, uso de medicamentos (principalmente antibióticos e antiinflamatórios), estresse psicológico, estresse físico (prática extenuante de atividade física), consumo alcoólico e fumo.  Com isso, como está a sua saúde intestinal? Você possui mais bactérias boas ou bactérias ruins?

O desequilíbrio entre as bactérias consideradas boas e ruins causa a disbiose intestinal, provocando danos à saúde, ganho de peso, obesidade, desenvolvimento de transtornos metabólicos, ritmo intestinal irregular, queda de cabelo, cansaço e falta de ânimo. O excesso de microorganismos ruins é capaz de aumentar a produção de energia a partir da dieta e induzir inflamação de baixo grau.  Hábitos alimentares ruins, com consumo excessivo de carboidratos simples (pão branco, massas, arroz, biscoitos), açúcar refinado e produtos industrializados, podem causar uma redução na diversidade de microbiota intestinal provocando o aumento de bactérias do tipo Firmicutes (bactérias consideradas ruins) e redução na quantidade de Bacteroidetes (bactérias benéficas), gerando um grande desequilíbrio e com isso deficiências nutricionais, processos inflamatórios e ganho de peso. Cuidar bem do seu intestino começa com uma alimentação equilibrada e muita hidratação. A associação de probióticos, que são microrganismos benéficos à saúde e ao equilíbrio da microbiota intestinal, aos prebióticos, que são fibras que servem com substratos para as bactérias realizarem a fermentação, promove mudanças na composição e função da microbiota intestinal. Isso inclui o aumento das bactérias benéficas ao organismo,  a melhora da função da barreira intestinal e da imunidade, bem como da resposta  anti-inflamatória.

L Crovesy, M Ostrowski, D M T P Ferreira, E L Rosado and M Soares-Mota. Effect of Lactobacillus on body weight and body fat in overweight subjects: a systematic review of randomized controlled clinical trials. International Journal of Obesity (10 July 2017)

F. B. Seganfredo. Weight-loss interventions and gut microbiota changes in overweight and obese patients: a systematic review.Etiology and Pathophysiology. 2017

Deixe uma resposta